Sem categoria

Sistema Cardiovascular – Anatomia e Fisiologia

O sistema cardiovascular é composto de coração e vasos sanguíneos, este último diferenciado em artérias, arteríolas, veias, vênulas e capilares. Sua principal função é o transporte do sangue e as substâncias que contém, para que possam ser usados ​​pelas células. Além disso, a mobilização do fluxo sanguíneo torna possível eliminar os detritos celulares do corpo. O sangue é impulsionado através do coração ao longo do corpo, através de condutas de diferentes calibres.

Ele transportado para os tecidos substâncias como água, hormonas, enzimas e anticorpos, entre outros.

-A temperatura do corpo é mantida constante.

-Os produtos residuais e dióxido de carbono são conduzidos para os rins e pulmões, respectivamente, para serem eliminados do corpo.

– Coração

É o principal órgão do sistema cardiovascular. O coração é um músculo oco que pesa cerca de 250 a 300 gramas. Atua como uma bomba de sucção que impulsiona o sangue através das artérias, veias e capilares, mantendo-o em constante movimento e a uma pressão adequada.

O coração é dividido em quatro cavidades: dois átrios direito e esquerdo e dois ventrículos direito e esquerdo. Está localizado na parte média do tórax, algo à esquerda, entre os dois pulmões. Em uma forma piramidal, sua base contém ambos os átrios e projeta para cima, um pouco para trás e para a direita. O vértice está localizado abaixo, para frente e para a esquerda. Contém o ventrículo esquerdo.

Aurículas

Eles estão separados uns dos outros pelo septo interatrial. O átrio direito comunica-se com o ventrículo direito através do orifício atrioventricular direito, onde existe uma válvula denominada tricúspide. O átrio esquerdo comunica-se com o ventrículo esquerdo através do orifício atrioventricular esquerdo, que possui uma válvula denominada válvula bicúspide ou mitral. Tanto a válvula tricúspide como a valva mitral impedem o refluxo de sangue dos ventrículos para os átrios.

Duas grandes veias fluem para o átrio direito: a veia cava superior e a veia cava inferior. Além disso, a veia coronária chega e traz sangue desoxigenado do coração.

Quatro grandes veias chegam no átrio esquerdo: duas veias pulmonares direitas e duas veias pulmonares esquerdas Ventrículos

Cavidades do coração

Cavidades do coração
Cavidades do coração

Do ventrículo direito nasce a artéria pulmonar, que transporta sangue desoxigenado para os pulmões. A artéria pulmonar tem uma válvula chamada válvula semilunar pulmonar, cuja missão é impedir o refluxo do sangue para o ventrículo direito. Do ventrículo esquerdo origina-se a grande artéria aorta, que transporta sangue oxigenado por todo o corpo. A artéria aorta também possui uma válvula aórtica semilunar que impede o retorno do sangue ao ventrículo esquerdo.

Nas paredes de ambos os ventrículos existem pequenos músculos papilares, dois à esquerda e três à direita, embora outros acessórios possam estar presentes. Esses músculos estão ligados a cordas tendíneas que são montadas nas válvulas bicúspide e tricúspide. Quando o sangue sai dos ventrículos, os músculos papilares contraem e fecham as duas válvulas para evitar o refluxo sanguíneo para os átrios.

Válvula bicúspide

Os músculos dos ventrículos são mais desenvolvidos que os músculos dos átrios. A camada muscular do ventrículo esquerdo é mais espessa que a correspondente à direita, pois deve suportar maior pressão arterial.

A relação entre átrios e ventrículos determina a disposição do coração direito (sangue venoso) e do coração esquerdo (sangue arterial) do ponto de vista fisiológico. De fora para dentro, o coração é coberto por três camadas: – Epicárdio: fina camada de serosa que envolve o coração. – Miocárdio: formado por músculo estriado cardíaco, que ao contrair envia sangue para todo o organismo. – Endocárdio

Circulação intracardíaca de sangue

O coração é circundado por duas camadas fibrosas, o pericárdio, que o separa das estruturas vizinhas. Artérias são os vasos que surgem do coração e transportam sangue para todos os tecidos do corpo. Eles são formados por três camadas concêntricas. Do lado de fora para o interior são: -Exemplo externo: formado por tecido conjuntivo. – Túnica média: composta de fibras elásticas e musculares lisas. – Túnica interna: células epiteliais planas em contato íntimo com o sangue.

Arteríolas

São vasos de pequena dimensão, como resultado de múltiplas ramificações das artérias. As arteríolas recebem sangue das artérias e levam-no aos capilares. Eles têm esfíncteres (válvulas) através dos quais o sangue entra nos capilares. As arteríolas têm as mesmas camadas que as artérias, embora muito mais finas

Capilares sanguíneos

Capilares sanguíneos

São vasos microscópicos que perdem as camadas externa e média. Consequentemente, o capilar nada mais é do que uma camada muito fina de células epiteliais planas e uma pequena rede de fibras reticulares. O diâmetro dos capilares oscila entre 8 e 12 mícrons

– Estacas artificiais

Transportam os nutrientes e o sangue oxigenado para todas as células do organismo

– Apêndices venosos

Eles coletam resíduos e sangue desoxigenado das células para as vênulas.

– Vênulas

Retire os restos celulares e o sangue desoxigenado dos capilares venosos e mova-os para as veias. Eles têm as mesmas camadas desses óculos, mas de um calibre muito menor.

Veias

São vasos que se originam da união de várias vênulas e drenam o sangue no coração. As veias são mais finas que as artérias, já que possuem uma musculatura mais fina. O diâmetro é maior que o das artérias.

Dentro das veias existem válvulas semilunares que impedem o sangue de recuar e favorecem o caminho para o átrio direito. As válvulas abrem quando o músculo se contrai (A) e fecha quando o músculo está em repouso (B).

As veias têm as mesmas estruturas que as artérias. No ciclo cardíaco, o coração realiza dois tipos de movimentos, um de contração (sístole) e outro de relaxamento (diástole). Cada batimento cardíaco causa uma sequência de eventos que são chamados de ciclos cardíacos. Em cada ciclo cardíaco (batimento cardíaco), o coração alterna uma contração (sístole) e um relaxamento (diástole). Nos humanos, o coração bate por minuto cerca de 70 vezes, ou seja, realiza 70 ciclos cardíacos. O ciclo cardíaco situa-se entre o final da sístole ventricular e o final da próxima sístole ventricular. Dura 0,8 segundo e consiste em 3 fases:

– Diástole geral: é a dilatação dos átrios e dos ventrículos. O sangue entra novamente nos átrios. As válvulas mitral e tricúspide abrem e as sigmoides fecham. A diástole geral dura 0,4 segundo.

– Sístole atrial: contração simultânea dos átrios direito e esquerdo. O sangue é direcionado para os ventrículos através das válvulas tricúspide e mitral. Dura 0,1 segundos.

– Sístole ventricular: contração simultânea dos ventrículos direito e esquerdo. O sangue é direcionado para as artérias pulmonares e aorta através das válvulas sigmoides. A sístole ventricular dura 0,3 segundos.

Sistema de condução do coração

O músculo cardíaco é automaticamente contraído pela transmissão de impulsos nervosos através de um sistema de condução especial, ao contrário do músculo esquelético que o faz antes de um estímulo nervoso. O sistema elétrico ou de direção é responsável por gerar o batimento cardíaco e controlar sua frequência. Está localizado no músculo cardíaco (miocárdio) e é formado por três partes:

– Nó sinoauricular: localiza-se no átrio direito e é o local de origem do batimento cardíaco. Considera-se como o marcapasso cardíaco.

– Nó atrioventricular: localizado próximo ao septo interatrial, acima da valva tricúspide. Neste nó, o impulso é atrasado para que os átrios terminem de se contrair antes de os ventrículos se contraírem. – Sistema Hiss-Purkinje: é uma continuação do nó atrioventricular. O feixe de Hiss é formado por uma densa rede de células de Purkinje, que se ramifica em dois ramos que circundam os dois ventrículos. As ondas elétricas se propagam do nó atrioventricular através do feixe de Hiss, o que causa a contração dos ventrículos. Na área inferior, as células de Purkinje estão dispostas.

Circulação do Sangue

Circulação do Sangue
Circulação do Sangue

Nos mamíferos, a circulação sanguínea é caracterizada por ser dupla, fechada e completa. É dupla porque passa pelo coração duas vezes, fechada porque não se comunica com o exterior como em outros organismos, e está completa porque o sangue arterial nunca se mistura com o sangue venoso.

Para o seu estudo, a circulação sanguínea pode ser dividida em:

– Maior circulação: é o caminho que o sangue faz do ventrículo esquerdo.

para o átrio direito. O sangue oxigenado nos pulmões atinge o coração (sangue arterial) e, através da válvula aórtica, deixa o ventrículo esquerdo para entrar na aorta. Essa grande artéria se bifurca em artérias de menor calibre, que por sua vez ramificam-se para formar arteríolas, que também se dividem dando origem a milhões de capilares para fornecer oxigênio e nutrientes a todas as células do corpo. As células eliminam o dióxido de carbono e o metabolismo dos resíduos, que passam para os capilares venosos. A maioria dos detritos é transportada pelas veias renais para o rim para ser removida do corpo. O dióxido de carbono é transportado por vênulas que atingem veias maiores,

– Menor circulação: é o caminho que o sangue leva do ventrículo direito até atingir o átrio esquerdo. Do ventrículo direito, o sangue venoso é lançado na artéria pulmonar, que o transporta diretamente para os pulmões. A troca gasosa (hematose) é realizada nos alvéolos pulmonares. O sangue, agora oxigenado, retorna através de quatro veias pulmonares (duas direitas e duas esquerdas) para o átrio esquerdo.

– Circulação Coronariana

É outra divisão da grande circulação. Ao sair do ventrículo esquerdo, a artéria aorta dá origem às artérias coronárias direita e esquerda, responsáveis ​​pela irrigação do coração. Após sucessivas divisões, atinge a rede capilar, onde fornece oxigênio e nutrientes às células do miocárdio. O sangue desoxigenado com restos celulares é transportado pela veia coronária principal, que drena a parte anterior do coração, e pela veia interventricular posterior, que drena o aspecto posterior. Ambos os vasos se juntam ao seio coronário, que se esvazia no átrio direito.

– Circulação fetal

A principal função dos capilares sanguíneos é a troca de oxigênio e nutrientes celulares do lúmen capilar para o espaço intersticial, isto é, para o lugar entre as células e os capilares. Além disso, recebe dióxido de carbono e detritos do metabolismo das células do referido interstício. A troca de substâncias é possível devido ao reduzido diâmetro capilar de 8-12 microns e à velocidade mínima do sangue no interior. A regulação do fluxo sanguíneo capilar é responsável pela camada muscular das arteríolas, reduzindo seu diâmetro (vasoconstrição) ou aumentando-a (vasodilatação).

A troca de gases, nutrientes e resíduos é feita através de diferentes mecanismos. Uma delas é a difusão, onde a passagem de substâncias é feita em favor de um gradiente de concentração, ou seja, de um local de maior concentração para outro de menor. Pequenas moléculas solúveis em água, como oxigênio e dióxido de carbono, difundem-se através desse mecanismo. Outra forma de troca é a filtração, onde a passagem é feita de acordo com a pressão intracapilar e o tamanho dos poros de suas paredes. Na extremidade arterial do capilar, com mais pressão arterial, ocorre filtração em direção ao interstício. Ao final do capilar próximo às vênulas, a pressão interna diminui, o que favorece a entrada de resíduos na luz capilar.

– Circulação Fetal

É uma divisão da grande circulação que leva sangue ao feto através da placenta. Durante a vida fetal, a placenta assume funções que no futuro estarão encarregadas dos pulmões, do sistema digestivo e dos rins. A placenta fornece oxigênio e nutrientes ao sangue do feto e o purifica do lixo. O sangue oxigenado flui para o feto através de duas veias umbilicais, que entortam dentro do cordão. Ao entrar no umbigo fetal, eles se tornam um único vaso, a veia umbilical, que vai para o fígado. Depois de atravessar o fígado, o sangue é direcionado para a veia cava inferior, misturando-se com sangue desoxigenado das costas do feto, para então alcançar o átrio direito. No feto, os átrios direito e esquerdo se comunicam através do orifício oval, então o sangue vindo da veia cava inferior entra nas duas cavidades. O sangue que chega ao átrio esquerdo vai para o ventrículo esquerdo e depois para a aorta para irrigar todo o corpo do feto. O sangue menos oxigenado que vem da cabeça passa pela veia cava superior, entra no átrio direito e depois no ventrículo direito. No átrio direito, o sangue proveniente das veias cavas inferior e superior é misto. Essa mistura, menos oxigenada que a que passa pelo orifício oval, passa para o ventrículo direito e depois para a artéria pulmonar. A partir dessa artéria, uma parte do sangue é direcionada para os pulmões e o restante passa pelo ducto arterioso, onde é misturado, na aorta, com o sangue vindo do ventrículo esquerdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *