Saúde, Suplementação alimentar

Ômega 3 benefícios e malefícios

Ômega 3 benefícios e malefícios – Aproveite o artigo e conheça todos os benefícios desse poderoso óleo essencial. Boa Leitura!

O Ômega 3 (Ácido Alfa Linoleico – ALA) é uma gordura polisaturada, quando metabolizado pelo
organismo forma o ácido eicosapentaenóico (EPA) e o ácido docosahexaenoico (DHA).
Ômega 3 é essencial para a saúde humana e a sua deficiência pode levar a doenças crônicas.
Os seres humanos não são capazes de sintetizar o Omega 3 que é um ácido graxo essencial, sendo
assim ele somente pode ser obtido pela alimentação como óleo de linhaça, canola, peixes, ou na
forma de suplementação.

Omêga 3 é qualidade de vida

A suplementação dietética de Cápsulas de Ômega 3 é essencial para o funcionamento do organismo.
Auxilia no metabolismo de lipidios, reduz os níveis plasmáticos dos triglicerídeos, colesterol total,
VLDL e LDL, ação vasodilatadora.
Estudos mostram que o Ômega 3 pode suprimir a inflamação e apresentar benefício para uma
variedade de doenças inflamatórias, diabetes, aterosclerose, asma e artrite.

Omêga 3 benefícios e malefícios – Principais Componentes

Ácidos graxos EPA (ácido eicosapentaenoico) e DHA (ácido Docosaexaenoico)

Omêga 3 benefícios e malefícios

Omêga 3 benefícios e malefícios

Omêga 3 benefícios e malefícios

– Protetor contra doenças cardiovasculares;
– Redução do triglicerídeos;
– Controle do colesterol total, aumentando o colesterol bom (HDL), e diminuindo o colesterol ruim
(LDL e VLDL);

– Suprimir a inflamação na:
* Diabetes: uso de Ômega 3 melhora a sensibilidade da insulina;
* Aterosclerose;
* Asma;
* Tratamento de artrite reumatoide, diminuindo o inchaço e a dor;

Como tomar ômega 3 – Omêga 3 benefícios e malefícios

Adultos devem ingerir 2 cápsulas ao dia.
Conforme critério médico.

Referências para o artigo Omêga 3 benefícios e malefícios

BIOSCIENCE ET AL. Omega-3- carboxylic acids provide efficacious anti-inflammatory activity
in models of crystal-mediated inflammation. A Nature Rescarch Journal, nº 8, p 10.1038/s41598-
018-19252- x, 2018. Disponível: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29352206 >

TREVO A. MORE. Marine OMEGA-3 fatty acids in the prevention of cardiovascular disease,
Sciencie Direct. v123, p. 51-58, 2017. Disponível em:
<https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0367326X17313035?via%3Dihub>.

MESQUITA et al. Efeito anti-inflamatório da suplementação dietética com ácidos graxos
ômega-3, em ratos. Rev Dor, v out-dez, p 337-341, 2011. Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/rdor/v12n4/a10v12n4.pdf>

YAN et al. Omega-3 Fatty Acids Prevent Inflammation and Metabolic Disorder through
Inhibition of NLRP3 Inflammasome Activation. Immunity. v 38, p 1154-1163, June 2013.
Disponível em: < http://www.cell.com/immunity/fulltext/S1074-7613(13)00242- 2>

Farsi et al. Effects of supplementation with omega-3 on insulin sensitivity and non-esterified
free fatty acid (NEFA) in type 2 diabetic patients. Arq Brasileiro Endocrinol Metab. v 58/4, 2014.
Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abem/v58n4/0004-2730- abem-58- 4-0335.pdf>

Mochimaru et al. 12-OH- 17,18-Epoxyeicosatetraenoic acid alleviates eosinophilic airway
inflammation in murine lungs. Allergy. p 369-378, Feb 2018. Disponível em:
<https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28857178>

O que é ômega 3

o que é ômega 3

o que é ômega 3

Ômega 3, ou ácidos graxos ômega 3, é uma família de ácidos graxos essenciais nomeados como tal porque não podem ser sintetizados pelo corpo humano.

Eles são necessários para funções vitais e a única maneira de obtê-los é através da comida.

Os ácidos graxos ômega 3 são gorduras poli-insaturadas, ou seja, compostos de várias ligações duplas, e são classificados principalmente em 3 ácidos graxos :

ALA: ácido alfa-linolênico.

É encontrado principalmente em alimentos de origem vegetal e precisa ser convertido em EPA ou DHA para ser usado pelo organismo.

DHA: ácido docosaexaenoico.

É encontrada principalmente em alimentos de origem animal e é essencial para o desenvolvimento do cérebro.

EPA: ácido eicosapentaenoico.

É encontrado principalmente em alimentos de origem animal e pode reduzir a inflamação.

Para que serve o ômega 3?

Ácidos graxos ômega 3 têm várias finalidades.

Eles são moléculas estruturais encontradas nas membranas das células, especialmente no cérebro e a sua utilização está associada com a melhoria da saúde neurológica, diminuição da depressão e um menor risco de demência.

Da mesma forma, eles também desempenham um papel essencial em outros processos celulares, como inflamação, imunidade e coagulação sanguínea.

Vamos ver com mais detalhes o que beneficia a ingestão de ácidos graxos ômega 3 para a saúde do corpo e do organismo.

Benefícios do ômega 3

O ômega 3 auxilia nas seguintes funções orgânicas:

– Síndrome metabólica

A síndrome metabólica é um conjunto de sintomas que aumentam significativamente o risco de diabetes e doenças cardiovasculares.

Alguns destes sintomas incluem:

Hipertensão: hipertensão arterial.

Hipertrigliceridemia: níveis elevados de triglicerídeos.

Hiperglicemia em jejum: níveis elevados de glicose em jejum.

Obesidade abdominal: excesso de gordura abdominal .

Baixos níveis de colesterol HDL.

De acordo com os dados fornecidos pela pesquisa, o aumento do consumo de ácidos graxos ômega 3 reduz os níveis de colesterol e triglicérides, previne o aparecimento de coágulos nas artérias e reduz a pressão arterial.

– Fígado gorduroso

A doença hepática gordurosa, ou esteatose hepática, é uma doença caracterizada pelo acúmulo de gordura e triglicérides nas células do fígado.

É uma das principais causas de doença hepática em crianças e adultos e é devido a um distúrbio de resistência à insulina em que o fígado produz um excesso de glicose e triglicérides.

Há evidências científicas de que a suplementação com ômega 3 ou a ingestão de alimentos ricos em ômega 3 reduzem o acúmulo de gordura no fígado e a inflamação causada por essa condição em pessoas com esteatose hepática.

– Desenvolvimento cerebral do feto

Como mencionei acima, os ácidos graxos ômega 3 são parte da estrutura do cérebro humano e da retina e, portanto, são essenciais durante o período de gestação do feto.

Os especialistas concluíram que a dieta da mãe antes da concepção do bebê é essencial para determinar a classe de gorduras que se acumularão nos tecidos do feto, uma vez que os ácidos graxos ômega 3 passam através da placenta.

A obtenção de altos níveis de ômega 3 durante a gravidez traz muitos benefícios importantes para a criança, incluindo:

Maior acuidade visual

Maior capacidade de aprendizado, concentração, comunicação e sociabilidade.

Baixa morbidade

Maior inteligência

Menor risco de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), autismo e paralisia.

Menor risco de atrasos.

Pelo contrário, a falta ou falta de ômega 3 está associada a problemas de visão, menores níveis de inteligência e maior risco de doenças cardiovasculares.

– Dores menstruais

Dismenorreia é o nome que recebe menstruação dolorosa em mulheres.

A dor causada por contrações que causam alterações hormonais antes da menstruação, ocorre na parte inferior do abdómen e pélvis e por vezes também refletida na parte inferior das costas.

Foi demonstrado que o consumo de alimentos ricos em ómega 3 ou suplementos ômega 3 reduz significativamente a dor causadas por menstruação e é ainda mais eficaz do que o anticorpo anti-inflamatório não esteroide ibuprofeno.

– Depressão e ansiedade

A depressão é um transtorno mental caracterizado por perda de interesse na vida e atividades diárias para baixo humor e um sentimento de tristeza e fadiga.

Por outro lado, a ansiedade é também um transtorno mental que consiste em preocupação excessiva e permanente, medo e nervosismo.

De acordo com vários estudos, a ingestão de ácidos graxos ômega 3 pode reduzir significativamente os sintomas associados à depressão e ansiedade.

Da mesma forma, das 3 classes principais de ômega 3 que existem, a chamada EPA prova ser a mais eficaz quando se trata de tratar a depressão e parece ser ainda mais eficaz do que a droga antidepressiva Prozac.

– Doenças Cardiovasculares

Numerosos estudos encontraram evidências de que um aumento no consumo de ácidos graxos ômega 3 melhora os marcadores que promovem o aparecimento de doenças cardiovasculares.

Estes são alguns dos efeitos positivos do ômega 3 no corpo:

Evita a formação de coágulos sanguíneos, evitando que as plaquetas se acumulem.

Reduz os níveis de pressão arterial em pessoas hipertensas.

Diminui a produção de certas substâncias que são segregadas antes de uma resposta inflamatória.

Reduz os triglicerídeos e aumenta o colesterol HDL.

Previne a placa que entope e endurece as artérias.

No entanto, o fato de o ômega 3 melhorar os fatores de risco para doenças cardíacas não significa que seu consumo possa prevenir derrames ou derrames.

De fato, vários especialistas não encontraram evidências disso, por isso ainda é necessário realizar estudos adicionais para confirmar ou descartar esses dados.

– Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)

O TDAH é um transtorno que se inicia na infância e se caracteriza por dificuldades em manter a atenção, hiperatividade ou excesso de movimento e impulsividade ou dificuldades no controle dos impulsos.

Descobriu-se que os suplementos de ácidos graxos ômega 3 ajudam a aumentar a capacidade de atenção e diminuir os estados de violência, impulsividade, hiperatividade e agitação.

Em um estudo de 6 meses no qual os ácidos graxos ômega 3 foram administrados em vários grupos de crianças com TDAH, os sintomas foram reduzidos em 47% dos participantes.

Da mesma forma, observou-se que as crianças com TDAH têm níveis ômega 3 mais baixos do que seus pares saudáveis.

– Transtornos Mentais

Pessoas que sofrem de distúrbios mentais e psiquiátricos têm níveis ômega 3 mais baixos do que outras pessoas, e é por isso que inúmeras investigações foram realizadas.

Os dados mais recentes confirmaram que a ingestão de suplementos de ácidos graxos ômega 3 é um método eficaz para reduzir a frequência de altos e baixos e a recaída emocional sofrida por pessoas com transtorno bipolar e esquizofrenia.

Há também algumas evidências de que o ômega 3 diminui o comportamento violento.

– Demência

A demência é uma perda da função cerebral que ocorre devido a certas doenças e afeta a memória, o pensamento, a linguagem, o julgamento e o comportamento.

Caso você tenha esquecido, os ácidos graxos ômega 3 são parte da estrutura do cérebro e, portanto, seu consumo tem sido associado a um menor risco de sofrer de demência e doença de Alzheimer.

– Visão

Níveis reduzidos de DHA estão associados a um risco aumentado de problemas de visão, principalmente degeneração macular.

E é que este ácido graxo essencial é um componente do cérebro e da retina do olho que não pode faltar em seu corpo se você quiser preservar sua visão em boas condições.

– Inflamação

A inflamação é um mecanismo protetor do nosso corpo que nos ajuda a lutar contra invasores estrangeiros e desempenha um papel vital quando se trata de reparar danos.

Sem inflamação, patógenos como bactérias podem invadir nosso corpo e nos matar.

No entanto, quando a inflamação aguda é prolongada demais, ela pode se tornar crônica e atacar os próprios tecidos do corpo, causando várias doenças.

De acordo com vários estudos, altos níveis de ômega 3 podem diminuir a produção de substâncias e moléculas que causam inflamação.

– Asma

A asma é uma doença crônica caracterizada por ataques recorrentes de dispneia (dificuldade respiratória) e sibilância, que variam em gravidade e frequência de uma pessoa para outra.

Os sintomas podem aparecer várias vezes ao dia ou uma semana e, em algumas pessoas, pioram durante a atividade física ou à noite.

Durante um ataque de asma, o revestimento dos brônquios fica inflamado, o que causa um estreitamento das vias aéreas e uma diminuição no fluxo de ar para dentro e para fora dos pulmões.

O consumo de peixes gordurosos, ricos em ômega 3, ou a ingestão de suplementos de ômega 3 acabou por ser um tratamento eficaz que previne a asma em crianças e adultos.

– Ossos e articulações

A osteoporose é uma doença generalizada nos países ocidentais é caracterizada pela deterioração do tecido ósseo e é muito comum em mulheres mais velhas.

A artrite reumatoide corresponde a um distúrbio autoimune complexa caracterizada por marcada inflamação e destruição progressiva dos tecidos que formam as juntas.

Ambas as doenças, que afetam o sistema ósseo, podem ser melhoradas pelo consumo de ácidos graxos ômega 3, que aumentam os níveis de cálcio presentes nos ossos e reduzem alguns marcadores de inflamação associados à artrite.

Em outras palavras, a ingestão de ômega 3 pode aumentar a força dos ossos e articulações, evitando assim o aparecimento de osteoporose e artrite.

– Sono

Verificou-se que os baixos níveis de ômega 3 no organismo causam problemas de sono em crianças e adultos.

E a falta de sono está associada a níveis mais elevados de cansaço e fadiga, a um aumento do apetite e do desejo e a uma redução da motivação para se exercitar e comer de forma saudável.

Além disso, não dormir bem aumenta em 89% o risco de obesidade em crianças e em 55% em adultos.

Por estas razões, qualquer remédio natural que seja eficaz contra o sono ruim é importante e, de acordo com estudos, os suplementos de ômega 3 ajudam a aumentar a qualidade e a duração do sono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *