Sem categoria

Instrumentos Odontológicos

Instrumentos Odontológicos – Se você precisar de uma coroa ou protetor bucal, seu dentista pode ter que obter um molde de seus dentes.

No artigo a seguir você encontrará os seguintes tópicos:

  • Instrumentos Odontológicos;
  • Principais instrumentos odontológicos;
  • Espelho de boca;
  • Sonda exploradora;
  • Raspador;
  • Ejetor de Saliva ou Dispositivo de Sucção;
  • Broca Dental (motor);
  • Seringa Dentária;
  • Moldes;
  • A história dos instrumentos odontológicos;
  • Confira a evolução dos instrumentos odontológicos;
  • Os instrumentos odontológicos arcaicos;
  • Seringa Wilcox-Jewett (1905);
  • Broca-relógio (1860);
  • Fórceps da Guerra Civil Americana;
  • O “Pelicano Dental”;
  • Brocas de Proa;

Instrumentos Odontológicos – Tudo Sobre

A odontologia é um dos casos em que os instrumentos são muito característicos e facilmente reconhecidos até por quem não é dentista ou trabalha na área.

Instrumentos Odontológicos

Todas as profissões têm técnicas bem específicas que permitem sua prática de forma mais eficiente. Essas técnicas passam desde o uso de um tipo de linguagem próprio, como no caso dos jargões profissionais (juridiquês, economês, etc) até o uso de instrumentos bastante distintos e específicos para aquela prática.

A odontologia é um dos casos em que os instrumentos são muito característicos e facilmente reconhecidos até por quem não é dentista ou trabalha na área. A falta de conhecimento sobre esses instrumentos pode ser a razão do medo que muitas pessoas têm de se consultar com um dentista e isso pode gerar um grave afastamento dessa profissão essencial para a saúde do organismo.

Por isso, é importante saber a função de cada um e como eles foram usados ao longo da história, com destaque para as inovações que tentam fazer da consulta odontológica uma experiência mais amena para o paciente. Confira essas informações no texto a seguir:

Principais instrumentos odontológicos

O som e a aparência dos instrumentos odontológicos podem parecer realmente assustadores. Quando você entra no consultório de um dentista, o zumbido de uma broca ou o gancho afiado de um instrumento podem causar calafrios na coluna. Isso pode até fazer com que algumas pessoas temam o dentista, o que resulta em uma viagem desagradável cada vez que você precisa ir a um consultório.

No entanto, existem maneiras de tentar remediar a situação. Ao saber o que cada ferramenta faz, é possível ficar menos ansioso toda vez que o dentista inicia seu trabalho. Veja um breve guia para ajudá-lo a entender as ferramentas odontológicas básicas e ajudar a acalmar seus nervos e tranquilizar sua mente:

Espelho de boca

Instrumentos Odontológicos

Este é provavelmente o menos assustador de todos os instrumentos odontológicos, mas é muito importante. O espelho de boca é um pequeno espelho preso a um bastão de metal. O objetivo deste instrumento é duplo.

Primeiro, permite que o dentista veja lugares na boca que normalmente levariam um ato de contorção física. Isso torna mais fácil encontrar cáries e outros problemas orais em potencial que, de outra forma, não seriam detectados. Em segundo lugar, ele dá ao dentista uma maneira fácil de mover sua língua ou empurrar o interior da sua bochecha sem fazê-lo com as mãos.

Sonda exploradora

O explorador dentário é um dos instrumentos odontológicos mais assustadores, mas é benéfico para encontrar sinais de cáries ou doença periodontal (gengiva). Este instrumento tem uma alça longa com um gancho afiado no final. Ele é usado principalmente para explorar os bolsos entre os dentes, enquanto também raspa tártaro e placa bacteriana. Se você tem uma cavidade visível, o dentista também pode usar a ponta afiada para investigar. Pode parecer medieval, mas é uma ferramenta necessária para a odontologia.

Raspador

Enquanto uma sonda exploradora é eficaz na remoção de pequenas áreas de placa bacteriana e tártaro, os raspadores são mais úteis para a remoção de um maior acúmulo. A maioria dos pacientes que requerem descamação tem problemas mais significativos com a doença periodontal, mas todos experimentam algum tipo de acúmulo de placa. Quando você come ou bebe, partículas minúsculas, como açúcares e ácidos, grudam nos dentes e bactérias se formam.

Esta bactéria prejudicial, eventualmente, causa cáries dentárias, e enquanto a escovação e o uso do fio dental ajudam a remover a maior parte dessa placa, algumas vezes é necessária uma remoção adicional. Um raspador raspa o excesso de placa e, embora não seja necessariamente confortável, impede que você tenha problemas de saúde bucal mais graves.

Ejetor de Saliva ou Dispositivo de Sucção

Instrumentos Odontológicos
Instrumentos Odontológicos

Ao contrário de algumas outras ferramentas dentárias, um ejetor de saliva é um dos mais fáceis de lidar e, muitas vezes, a fonte de certa descontração na consulta. Quando um dentista está explorando sua boca, eles geralmente precisam de uma superfície seca. Um dispositivo de sucção é um tubo longo preso a um vácuo que remove a saliva de sua boca. Você pode ouvir alguns sons de vácuo e sentir o ejetor na sua bochecha ou língua, mas não é nada que deva assustar. Durante os tratamentos que envolvem o uso de água, você pode ser regularmente instruído a fechar a boca para ajudar o dispositivo a limpar a água acumulada.

Broca Dental (motor)

Instrumentos Odontológicos
Instrumentos Odontológicos

Talvez a mais temida de todas as ferramentas seja a broca odontológica. O som disso é o suficiente para enviar alguns pacientes a um frenesi. No entanto, é a maneira mais eficaz de remover a cárie dentária antes de preencher uma cavidade. Esta furadeira elétrica gira a mais de 250.000 rpm ao atirar água em sua boca. Se a broca não administrasse água, ela ficaria quente o suficiente para danificar o dente.

Embora a broca dental possa causar algum desconforto por conta de vibrações nos dentes, geralmente não é doloroso quando você recebe um anestésico local.

Seringa Dentária

Instrumentos Odontológicos
Instrumentos Odontológicos

Falando de anestésicos, a seringa dental é o que aplica a substância entorpecedora à sua boca. Eles são um pouco mais longos do que uma agulha ou seringa típica para que o dentista possa atingir o local correto ao administrar o anestésico. Tal como acontece da forma convencional, a injeção inicial pode causar desconforto por um momento, mas isso é rapidamente anestesiado pelo elemento anestésico presente na injeção.

Se você fica desconfortável com o uso de agulhas, provavelmente é melhor não olhar para a seringa, mas isso acontece tão rapidamente que não é nada que você deva temer. Muitos dentistas também administram um anestésico tópico antes de usar a seringa, a fim de atenuar a picada inicial da agulha.

Moldes

Instrumentos Odontológicos
Instrumentos Odontológicos

Se você precisar de uma coroa ou protetor bucal, seu dentista pode ter que obter um molde de seus dentes. Esses moldes não são nada a temer, são pequenos quadros cheios de uma substância macia e são colocados em sua boca. Quando você morde, ele fornece um molde perfeito de seus dentes.

O material de moldagem não tem um gosto muito bom, mas não é nada intolerável por alguns segundos e alguns dentistas até têm versões com sabor disponíveis para crianças de todas as idades.

A história dos instrumentos odontológicos

Como qualquer área profissional, a odontologia passa por mudanças constantes em sua prática, a fim de torna-la mais moderna, eficiente e menos agressiva para quem precisa dos serviços.

Alguns dos elementos que mais passa por transformações técnicas e tecnológicas ao longo dos anos são os instrumentos utilizados para a prática odontológica. Para chegar ao que existe hoje foi preciso um modelo inicial, que foi passando por mudanças à medida que a tecnologia do entorno avançava e proporcionava novas técnicas, materiais e conhecimentos.

A odontologia prática hoje é feita principalmente com um conjunto de instrumentos odontológicos sofisticados. Não foi sempre assim, mas podemos ver a conexão entre ferramentas antigas que foram usadas para tratar dentes nos primeiros tempos e instrumentos que são usados atualmente.

Uma das ferramentas dentárias mais antigas é a broca. A primeira broca dental apareceu em 7000 aC e foi uma invenção da civilização do Vale do Indo. Na verdade, foi uma broca de arco, acredita-se que foi operada por artesãos de talão, porque seu uso principal era na produção de contas e jóias.

O próximo passo no desenvolvimento de brocas odontológicas foram brocas manuais mecânicas, mas elas eram bastante lentas. O primeiro motor mecânico de pé dentário foi construído por John Greenwood em 1790. Foi inspirado por uma roda giratória movida a pé.

A broca dental relógio foi inventada em 1864 pelo dentista britânico George Fellows Harrington. Foi muito mais rápida do que a versão manual, mas também produzia muito barulho. O dentista americano George F. Green inventou a broca dental pneumática em 1868. Ela era alimentada com foles operados por pedal. A broca para perfuração com pedais apareceu em 1871 e foi uma invenção de James B. Morrison. George F. Green também inventou e patenteou a primeira perfuratriz elétrica em 1875 que revolucionou a odontologia.

As brocas dentárias elétricas foram melhoraram a tempo e, em 1914, alcançaram velocidades de até 3000 rotações por minuto. John Patrick Walsh, com membros da equipe do Dominion Physical Laboratory (DPL) de Wellington, Nova Zelândia, inventou o antecessor de uma moderna broca odontológica manual para turbina a ar em 1949. Brocas odontológicas modernas, com base nisso, podem ter até 800.000 rotações por minuto, embora eles geralmente tenham até 400.000 rotações por minuto. Brocas dentárias são usadas nestas peças de mão e são feitas de carboneto de tungstênio ou diamante.

Brocas dentárias não são os únicos instrumentos utilizados em odontologia. O explorador dental ou a sonda falciforme são usados para melhorar a sensação tátil, porque às vezes a cárie pode ser difícil de diagnosticar sem esse tipo de verificação. O mais comumente usado é o chamado explorador número 23, também conhecido como gancho de pastor. A sonda periodontal parece um explorador dentário, mas sua ponta é marcada e embotada no final. Ela é usada para medir as profundidades de bolso ao redor de um dente para estabelecer o estado de saúde do dente.

O espelho bucal é usado para ajudar o dentista a ver os dentes em locais da boca onde a visibilidade é difícil ou impossível. O raspador periodontal é usado principalmente no tratamento profilático e periodontal de dentes humanos, juntamente com a cureta periodontal. O primeiro tem ponta estreita, enquanto o segundo tem uma ponta mais contundente.

Confira alguns pontos sobre a história da evolução dos instrumentos odontológicos:

A broca dental: A primeira broca dental foi um instrumento de pé inventado por John Greenwood em 1790. Bem diferente das perfuratrizes de alta tecnologia de hoje, a primeira broca dental feita por John Greenwood era na verdade apenas uma versão modificada da roda de pé de sua mãe. Em 1957, um dentista chamado John Borden inventou a peça de contra-ângulo de alta velocidade com 30.000 rotações por minuto, um avanço monumental na perfuração e polimento dentário.

A cadeira de dentista: Em 1790 um proeminente dentista americano chamado Josiah Flagg inventou a primeira cadeira de dentista completa com encosto de cabeça e bandeja para colocar os instrumentos. Em 1832, o inventor James Snell melhorou a invenção ao recostar a cadeira, facilitando a visão do dentista na boca do paciente. Em 1877, a cadeira mais uma vez fez sucesso no meio odontológico quando a cadeira Wilkerson substituiu a cadeira Snell como o tipo de cadeira predominante usado pelos dentistas.

Barragem dental de borracha: Em 1864, Sanford C. Barnum inventou a barragem dental de borracha. Seu objetivo é isolar um dente individual para que o dentista possa trabalhar com uma quantidade limitada de saliva presente para retardar seu trabalho. Isolar a área de preocupação do resto da boca facilita o trabalho.

Máquina de raio-X: Em 1895, Wilhelm Roentgen, um físico alemão, inventou a máquina de raios X mais usada pelos dentistas. Um ano depois, em 1896, um conhecido dentista de Nova Orleans, C. Edmond Kells, fez a primeira radiografia dentária de uma pessoa viva nos EUA. A capacidade de ver o que estava acontecendo sob a superfície melhorou a precisão na atividade do dentista.

Escova de dentes: Havia uma série de tipos de escovas de dentes antes da escova de nylon aparecer. Desde quando criada em 1938, a escova de nylon foi a escova de dentes padrão usada por dentistas e pela população em geral. Em 1960, a primeira escova de dentes elétrica foi introduzida ao público comprador.

Os instrumentos odontológicos arcaicos

Agora que você já conhece melhor a função e a história dos principais instrumentos odontológicos, é uma boa hora de conhecer como eram seus antepassados e perceber que a prática odontológica deu um enorme salto no sentido da praticidade e do conforto tanto do dentista como do paciente. Confira a lista com alguns instrumentos antigos:

Seringa Wilcox-Jewett (1905)

Embora pareça tirado direto de um romance de fantasia, a aplicação deste dispositivo era puramente prática: redução da dor. A seringa Wilcox-Jewett foi lançado em 1905 e foi usado para injetar uma solução de cocaína nas gengivas para fins anestésicos. Não temos certeza do que é mais assustador: o instrumento em si ou os tipos de soluções que os dentistas usaram para a redução da dor.

Broca-relógio (1860)

Inventado pelo dentista britânico George Fellows Harrington, em 1864, esse aparelho era elaborado, bonito – e bastante doloroso. A broca operou sendo liquidada antecipadamente e continuaria a funcionar por aproximadamente dois minutos. Conhecido por ser complicado e exigir o uso de ambas as mãos, foi rapidamente substituído pelo motor do pé em 1872.

Fórceps da Guerra Civil Americana

O anestésico ainda não estava em uso no momento em que esses fórceps apareceram na década de 1860. Não há dúvidas de que eles eram tão aterrorizantes quanto aparentam – e tinham um efeito duplo: a broca no centro era destinada à telescopia e trabalhar na raiz do dente enquanto a pinça era extraída simultaneamente.

O “Pelicano Dental”

O Pelicano Dental remonta aos anos 1600. Nomeado por sua semelhança com um bico de pelicano, este instrumento foi usado para extração dentária. O dente foi planejado para encaixar perfeitamente e firmemente na garra giratória.

Brocas de proa

Originados na Índia e no Paquistão, as brocas de proa foram originalmente criadas para girar, criando fricção e, por fim, fogo. Esta mesma aplicação foi usada mais tarde para perfurar os dentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *